Leitura da Bolsa 01.02.2019

Leitura da Bolsa 01.02.2019

ÍNDICE

Ontem o Ibovespa subiu 0,41% e fechou aos 97.394 pontos. No momento de euforia, o índice chegou aos 98.405 pontos, renovando o seu recorde histórico no intraday, porém foi devolvendo os ganhos durante o dia. O volume financeiro voltou a ficar acima da média, em R$ 19,6 bilhões. O mês foi muito positivo para a bolsa, a alta foi de 10,82%, com o governo Bolsonaro começando com o pé direito e com uma boa dose de confiança.
O grande destaque de ontem foram as ações do Bradesco(BBDC4) que subiram 5,65% após os seus resultados superaram todas as estimativas. O lucro líquido anual foi R$ 21,5 bilhões, 13,4% acima do ano anterior. Além disso, vale ressaltar a qualidade dos indicadores que agradaram o mercado. O ROE, que é o retorno sobre o patrimônio líquido, subiu 1,7 ponto percentual em relação a 2017. O banco destacou no relatório o desempenho positivo das receitas de prestação de serviços e resultados com operações de seguros, previdência e capitalização.
Esse lucro do Bradesco, animou o setor como um todo e criou uma expectativa para o resultado do Itaú, que sairá na segunda. Na espera do balanço e no embalo do Bradesco, as ações do Itaú(ITUB4) subiram 1,73%, as ações do Santander(SANB11) subiram 0,15%, enquanto as ações do Banco do Brasil(BBAS3) subiram 2,53%. Em suma, o mês foi muito bom para os bancos, com o Bradesco subindo 17,13%, o Itaú subindo 9,27%, o Santander com alta de 15,39% e o Banco do Brasil com alta de 11,55%.
As ações da Petrobrás fecharam em direções mistas, com as ordinárias(PETR3), que tem direito a voto, subindo 0,37% e as preferencias(PETR4) que tem preferência no recebimento de dividendos, caindo 0,16%. As duas ações iniciaram o dia em alta, porém foram caindo juntamente com o preço do barril de petróleo. As ações também foram muito bem no mês, com as ordinárias subindo 16,34% e as preferenciais, 12,79%.
Já as ações da Vale(VALE3) estão sendo o paraíso dos traders, a ação vem oscilando muito, ontem mesmo chegou a chegou a subir mais de 1%, mas fechou com queda de 2,36%, sendo um dos piores desempenhos do mês, com baixa de 10,78%.

DÓLAR

Ontem o dólar voltou a fechar em queda, cotada a R$ 3,65, com baixa de 1,37%. No mês, a moeda desvalorizou 5,58%, evidenciando o bom momento para Brasil. Essa foi a maior baixa para o mês de janeiro desde 2002.
Os DIs aproveitaram esse bom momento e recuaram em todas as pontas. O DI jan 2021 caiu de 7,14% para 7,01% e o DI jan 2025 recuou de 8,92% para 8,64%.
Ontem não foi diferente, com os ótimos resultados de Facebook, as ações subiram 11%. Apesar do bom resultado da Amazon, os investidores estão preocupados com o crescimento para 2019, o que pode ajudar a derrubar o índice hoje. Na esteira de resultados, hoje teremos Chevron e Deutsche Bank.
O principal fator para esse cenário positivo em Estados Unidos, foi um FED dovish, ou seja, menos preocupado com a inflação e mais preocupado com o crescimento econômico. Com esse pensamento, a tendência é que os juros se mantenham estáveis ou até caiam em um futuro próximo, já que dentro de uma política monetária expansionista, os juros mais baixos ajudam a impulsionar o crescimento econômico.
Para os Estados Unidos, o dia foi misto, com o Dow Jones ficando praticamente de lado, com queda de 0,02%, o S&P 500 subindo 0,88% e o Nasdaq subindo 1,37%. O mês foi extremamente positivo, revertendo o cenário ruim deixado no final de 2018. No mês o Dow Jones subiu 7,17%, o S&P 500 subiu 7,87% e o Nasdaq subiu 9,74%, puxado pela recuperação das empresas de tecnologia.

HOJE

Hoje teremos na agenda o IPC-S, que é o índice de preços ao consumidor semanal, a produção industrial de dezembro e a balança comercial semanal.
Muito importante também, hoje teremos a votação para definir quem serão os presidentes da Câmara e do Senado. Rodrigo Maia e Renan Calheiros são amplamente favoritos para ganhar essa disputa.
Na agenda norte-americana, hoje vamos ter a divulgação das vagas de trabalho em janeiro, a taxa de desemprego e o PMI de janeiro. (PAYROLL).

 

Bibliografia:
Por Fabio Louzada – Eu me banco!
Acorda Mercado – Ano II, Edição 100