Leitura da Bolsa 07.02.2019

Leitura da Bolsa 07.02.2019

Powell, do Fed, repete que economia dos EUA está em “boas condições”

O chairman do Federal Reserve, Jerome Powell, afirmou na quarta-feira que a economia dos Estados Unidos permanece em boas condições e se mostrou resiliente até agora a choques como a decisão do Reino Unido de sair da União Europeia.
“A economia dos EUA está agora em boas condições”, com desemprego baixo e inflação perto da meta do Fed de 2 por cento, disse Powell em sessão de perguntas e respostas com educadores econômicos em Washington .
“Tivemos alguns grandes eventos, algumas surpresas como o Brexit…e o sistema está forte”, completou ele.

Para equipe econômica, garantir aprovação da reforma da Previdência é mais importante que tramitação rápida

 A equipe econômica do governo do presidente Jair Bolsonaro quer garantir a aprovação da reforma da Previdência, mesmo diante da constatação de que a proposta terá uma tramitação na Câmara dos Deputados mais lenta do que se esperava –o que contribuiu para a forte queda da Bolsa de Valores e a alta do dólar nesta quarta-feira–, disse à Reuters uma fonte da área.
Líderes partidários afirmaram mais cedo que há consenso na Câmara contra eventual apensamento da nova reforma à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) já enviada à Casa pelo ex-presidente Michel Temer sobre o tema –esse texto está pronto para ser votado em plenário.
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já deu declarações públicas e também em conversas com parlamentares destacando que não haverá qualquer espécie de atropelo regimental para acelerar a tramitação da proposta.
Na prática, isso significa que não deve haver uma abreviação do rito de tramitação e a reforma de Bolsonaro terá de passar pelas comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e especial para analisar a matéria e, somente após isso, chegará ao plenário da Câmara.
Essa mudança não preocupa a equipe econômica, segundo a fonte, porque o importante é o resultado final, isto é, o governo ter os votos suficientes para aprovar a reforma. São necessários os votos de pelo menos 308 dos 513 deputados para a proposta ser aprovada, em dois turnos de votação.
Na equipe econômica, disse a fonte, o próprio Maia tem sido visto como uma espécie de fiador da reforma na Câmara, com capacidade de arregimentar votos na base aliada e ainda conversar com a oposição, com quem –apesar da resistência dela à proposta– tem trânsito há anos.

Indicador antecedente de emprego no Brasil sobe em janeiro para maior nível em 9 meses, diz FGV

O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) sinaliza no início de 2019 uma retomada no ritmo de recuperação do mercado de trabalho, ao atingir seu maior valor em nove meses, apontou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta quinta-feira.
Em janeiro, o IAEmp, que antecipa os rumos do mercado de trabalho no Brasil, apresentou alta de 4,1 pontos, atingindo 101,1 pontos, o maior nível desde abril de 2018.
“Após um período de turbulências e frustrações em 2018, o resultado positivo do indicador nos últimos meses parece sinalizar uma retomada da recuperação do mercado de trabalho”, disse em nota o economista da FGV/Ibre Rodolpho Tobler.
“Mas é preciso certa cautela, considerando que o indicador por enquanto recuperou apenas pouco mais da metade da queda observada em 2018”, alertou ele.
O Indicador Coincidente de Emprego (ICD), que capta a percepção das famílias sobre o mercado de trabalho, teve por sua vez uma queda de 4,4 pontos em janeiro, indo a 94,5 pontos.
O comportamento do ICD é semelhante ao da taxa desemprego, ou seja, quanto menor o número, melhor o resultado.
“A queda mais acentuada (do ICD) em janeiro sinaliza uma evolução mais favorável da taxa de desemprego neste início de ano e corrobora o resultado do IAEmp. A continuidade dessa trajetória de queda do ICD somente deve ocorrer com uma melhora mais robusta do nível de atividade e redução do nível de incerteza”, completou Tobler.
O Brasil encerrou 2018 com 12,195 milhões de desempregados e taxa de desemprego no quarto trimestre de 11,6 por cento, menor patamar do ano, mantendo o ritmo lento e gradual de recuperação do mercado de trabalho em linha com a atividade econômica, mas com avanço da informalidade.

Fonte:
investing.com