Leitura da Bolsa 08.03.2019

Leitura da Bolsa 08.03.2019

Mercado espera Payroll forte nos EUA, foco em salários

Todos os olhos estarão no relatório de emprego dos EUA para fevereiro que será lançado às 10h30, e deverá mostrar outro mês sólido de crescimento, apesar de uma desaceleração no crescimento da folha de pagamento.
Os economistas preveem que a economia tenha adicionado 181 mil empregos no mês passado, reduzindo a taxa de desemprego um pouco para 3,9%.
Salvo uma grande queda ou perda nas folhas de pagamento, o foco do mercado deve ser o crescimento salarial, que deve ter esquentado em fevereiro. A inflação salarial até agora tem ficado defasada em relação às expectativas, dado o estreito mercado de trabalho americano, permitindo que o Federal Reserve seja paciente com o aperto da política.
Espera-se que os ganhos médios por hora aumentem 0,3% para o mês, elevando o ganho anual para 3,3%. Os formuladores de políticas estão observando atentamente a leitura anual para medir a pressão ascendente sobre a inflação.
Lançados ao mesmo tempo, os investidores vão prestar muita atenção aos dados que medem a fragilidade observada no mercado imobiliário.
Os economistas esperam que os imóveis novos tenham saltado 9,9% em janeiro. Mas as licenças de construção, um indicador da demanda futura, devem ter caído 2,9%.

 

China contribui para a pessimismo econômico global

 

A China apresentou mais sinais de fraqueza econômica durante a noite com seus dados do comércio para fevereiro. As exportações tiveram sua maior queda em mais três anos, enquanto a segunda maior economia do mundo e a maior nação comercial também registrou queda na importação pelo terceiro mês consecutivo.
Os dados somaram-se às preocupações sobre a perspectiva econômica global depois que a China já havia cortado sua previsão de crescimento de 2019 para um intervalo de 6% a 6,5% no início da semana, comparado com 6,6% em 2018.
Além disso, a OCDE reduziu suas perspectivas de crescimento global para 3,3% com base precisamente nas preocupações com a China, juntamente com a fraqueza econômica observada na Europa.
A desaceleração europeia forçou o Banco Central Europeu a adotar uma postura mais moderada na quinta-feira, adiando sua projeção de aumento da taxa de juros desde o final deste verão até o final do ano, quando anunciou o lançamento de novos financiamentos de baixo custo para os bancos.

 

Petróleo cai enquanto fraqueza econômica aumenta temores de demanda menor

Os preços brutos caíram na sexta-feira, já que os dados negativos da China alimentaram preocupações com o impacto negativo na demanda do maior importador de petróleo do mundo.
Os contratos futuros de petróleo EUA caíram 94 centavos, ou 1,66%, para US$ 55,72 por 7h40, enquanto o. O petróleo teve queda de US$ 1,22, ou 1,84%, para US$ 65,08.
Junto com a sequência de sinais negativos para a economia global, os investidores estão assistindo à crescente produção nos EUA que permanece alcançando recordes.
A Baker Hughes lançará seus dados semanais da contagem de sondas, um indicador antecipado da produção futura, às 15h00.

Fonte:
investing.com