Leitura da Bolsa 10.04.2019

Leitura da Bolsa 10.04.2019

Ibovespa futuro tem alta com mercado de olho na CCJ e na espera da ata do Fed

A sessão desta quarta-feira começa positiva para o índice futuro do Ibovespa, com alta de 0,61% aos 96.612 pontos, depois de uma terça-feira de perdas. O cenário externo mais benigno puxa o índice para cima
A União Europeia vai conceder à primeira-ministra britânica, Theresa May, uma segunda extensão para o Brexit em uma cúpula emergencial nesta quarta-feira, mas os líderes vão debater uma prorrogação mais longa sob condições que impeçam futuros líderes britânicos de comprometerem o bloco.
No que Londres considerou uma humilhação nacional, May foi a Berlim e a Paris na véspera da cúpula para pedir à chanceler alemã, Angela Merkel, e ao presidente francês, Emmanuel Macron, que permitissem adiar a separação que deveria ter sido a “libertação” britânica.
A taxa de desemprego dos Estados Unidos pode ter espaço para cair mais sem levar a uma inflação excessiva, disse o vice-chairman do Federal Reserve, Richard Clarida, na terça-feira em declarações que podem consolidar ainda mais a hesitação do banco central em elevar a taxa de juros.
O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA de março foi de 0,75% e ficou 0,32 ponto percentual (p.p.) acima da taxa de fevereiro (0,43%). Esta foi a maior taxa para um mês de março desde março de 2015 (1,32%). A variação acumulada no ano foi de 1,51%, a maior para o período desde 2016 (2,62%). O acumulado dos últimos doze meses foi para 4,58%, contra os 3,89% nos 12 meses imediatamente anteriores. Em março de 2018, a taxa foi de 0,09%
O alívio nos preços no atacado compensou a pressão no varejo e o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) desacelerou a alta a 0,62 por cento na primeira prévia de abril, contra 0,71 por cento no mesmo período do mês anterior.
A Fundação Getulio Vargas (FGV) informou, nesta quarta-feira, que o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) subiu 0,65 por cento, após avanço de 0,90 por cento na primeira prévia de março. O IPA mede a variação dos preços no atacado e responde por 60 por cento do índice geral.
O relator da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, Delegado Marcelo Freitas (PSL-MG), iniciou na noite de ontem leitura de um parecer favorável à admissibilidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC).

 

IPCA surpreende em março com alta de 0,75%; índice em 12 meses acima da meta

 

O IPCA continuou sua escalada em 2019 e surpreendeu com uma alta de 0,75% na base mensal em março, acima do consenso de 0,61%, conforme divulgado na manhã de quarta-feira pelo IBGE. Nos últimos 12 meses, o IPCA acumula alta de 4,58%, acima do consenso de 4,41% e do centro da meta de inflação de 4,25% e dentro da margem de tolerância de 1,5%.
Foi a pior leitura mensal desde junho do ano passado – com desdobramentos da greve dos caminhoneiros em maio – e em quatro anos para o mês de março.
Em fevereiro, a alta do principal índice inflacionário brasileiro, que baliza as decisões de política monetária do Banco Central, foi de 0,43%, com o acumulado em 12 meses a 3,89%, abaixo do centro da meta de inflação e dentro da tolerância.
Na ata da última reunião do Copom, o Banco Central admitiu alta sazonal dos preços no primeiro trimestre do ano, porém sem sinalizar que havia risco de o IPCA ultrapassar o centro da meta. Porém, a autoridade monetária e economistas preveem desaceleração da inflação ao longo do ano, devido a uma economia com retomada lenta, redução da alta taxa de desemprego em velocidade baixa e o bom comportamento do preço dos serviços.
Alimentos e Transportes foram as categorias da cesta de consumo que influenciaram no aumento do custo de vida dos brasileiros no mês passado. Os alimentos subiram 1,37% e os transportes 1,44%.
No entanto, o núcleo da inflação, que exclui itens que têm preços mais voláteis, mostrou bom comportamento dos serviços. O núcleo acelerou de 0,15% em fevereiro para 0,31% em março, enquanto a inflação de serviços desacelerou de 0,38% para 0,34%.
O índice de difusão, entretanto, cresceu de 59% para 65%.

 

Inflação nos EUA sobe 0,4% em março, acima do consenso e abaixo da meta do Fed

 

O IPC, índice inflacionário que baliza a decisão de política monetária do Fed, acelerou 0,40% em março na base mensal, acima do consenso de 0,30%. No acumulado de 12 meses, a alta foi de 1,9%, ante expectativa de 1,8%.
O núcleo do IPC, que exclui os voláteis preços de energia e alimentos, subiu em março 0,1%, abaixo do consenso de 0,2%, enquanto no acumulado em 12 meses ficou em 2%, ante expectativa de 2,1%.
O IPC em 12 meses está abaixo da meta informal de inflação de 2% ao ano do Fed, o que deve manter a condução “paciente” sobre os próximos passos da autoridade monetária americana.

 

Fonte:
investing.com